Vivendo intensamente...

Quase um diário de viagem, ideias e pensamentos.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Universo Paralello#11 Festival - Bahia - 2011/2012







Welcome to Universo Paralello Festival !!
Sim, em inglês. A segunda língua mais falada no festival, depois claro da língua nativa o nosso português tupiniquim.
Meus passos até o Festival localizado na Bahia, em uma praia chamada Pratigi, foi:

Um táxi de casa até o Aeroporto às 5h00 da manhã de quarta-feira dia 28 de Dezembro de 2011.
Encontro com o meu grupo da qual eu fui guia, 11 cariocas.
Viagem atrasada em 40 minutos, duração do voo 1hora 20 minutos.
Aeroporto de Salvador, motorista já nos aguardado. Mas ainda faltavam
6 russos e mais 4 brasileiros.
Depois de 1 hora de atraso saímos finalmente em direção a Pratigi, que fica perto de Ituberá.
O nosso motorista conhecido como Careca, uma figura. Me fez rir e me sentir tranquila a viagem que teve duração de 5 horas.
Sim, muito longe.

Chegamos no final da tarde, sem problemas na entrada do festival.
Malas para carregar e sem disposição fiquei logo no início do Camping com alguns meninos do Rio.
Eles me ajudaram a armar a barraca, já que eu não tinha noção de como faria isso.
Barraca pronta, um banho e fui pra pista. Abertura do Main Floor. O chão tremia.

Após uma noite de muito frio, acordo cedo, tomo banho e como um pão natural maravilhoso, porém caro. Valia a pena.
Um amigo ia tocar no 303 dance floor, a pista que ficava na praia.
Eu tinha marcado de encontrar com o Norte americano que conhecia pela internet, por causa dos tranfers que estava fazendo junto com o Fábio.
Eu estava curiosa para conhece-lo depois dos papos que tivemos online dias antes do festival, por ser sua primeira vez no Brasil, estava passando várias dicas e estávamos bem animados imaginado como seria o festival, ele parecia ser uma pessoa super bacana...e era.
Ele me encontrou na pista na hora e local marcado e desde desse momento, não nos desgrudamos.
Conversamos muito, dançamos, rimos, comemos, bebemos, gritamos, festejamos, celebramos a vida, pura diversão...uma ótima companhia para um festival.

Todos os conhecidos e amigos do Rio estavam acampados com ele, então o encontro foi geral e perfeito, todos nós fizemos tudo citado a cima, num clima de perfeita harmonia.
Muito prog de dia e muito dark a noite, como mandava o figurino.
No chillout muita música boa, mas não consegui ver e dançar nas horas que estavam tocando um som mais ao meu estilo. Eu conseguia escutar da minha barraca todas as músicas que eu gostava tocando, mas fiquei curtindo de lá mesmo.
Era bem distante o caminho, não daria tempo de chegar lá, e eu também não queria perder a noite de sono, já que dia era impossível dormir por causa do calor.

Um dia tive que tirar o colchão da barraca e colocar do lado de fora numa sombra improvisada no meio da tarde, o corpo exausto, mas o calor não deixava ninguém dormir. A não ser os privilegiados nas sombras bem disputadas, como essa que consegui ao lado da minha barraca.
Mike e eu dormimos 12 horas direto, acordamos por volta das 4 da madruga e nos encontramos no caminho em busca de algo para comer e ele com vontade de ir pra pista.
Ele foi para a pista e eu voltei pra barraca para dormir. Pela manhã caiu uma chuva forte para refrescar as almas mais calorosas.

A noite de ano novo foi mágica.
Mesmo sem a magia dos fogos da cidade grande, foi um brilho flour e fogo.
Muitos sorrisos, muitos abraços, saudações, muita alegria, muita felicidade.
Para todos os lados que você pudesse olhar, você veria alguma cena dessa ou tudo junto.
Pra mim foi o melhor ano novo da minha vida.
O primeiro sozinha e sem preocupações. Eu estava em puro êxtase, nunca tinha sentido algo tão bom e completo dentro de mim.
Dancei como se fosse o primeiro e o último dia na Terra.
E cada vez que eu dançava mais e mais, com os olhos fechados, sentindo toda aquela felicidade e o momento, eu agradecia ao universo por ter essa oportunidade. Mike me acompanhou o tempo todo, unha e carne, eramos como melhores amigos naquele momento, tomamos conta um do outro.

Fui dormir às 4h da manhã, muito bêbada por sinal.
Acordei e fiquei um tempo na minha barraca olhando para o céu que amanheceu cinzento, pensando em todas as coisas que eu gostaria de mudar e levar pra frente nesse ano.
Foi um bom momento.

Mais tarde eu encontrei o povo na pista, nenhum deles tinham dormido, e pareciam um pouco zumbis, mas conseguiram levar até a noite.
Crazy People!

Eu conheci doces pessoas, um francês e um alemão, os quais no primeiro dia do ano, eu fiquei conversando e foi a inspiração para tirar algumas fotos.
A noite eu encontrei eles novamente e pude trocar mais ideias. Que pessoas lindas!

Eu entrei naquele mar com a água morna e nadei, peguei onda, me sentia tão livre.
Eu andava distâncias longas e não me importava de fazer quantas vezes fosse necessário o caminho, porque valeria a pena .
Pra tomar banho era um sacrifício, mas quem se importa?
E chegou uma hora em que tomei banho nua na frente de desconhecidos, homens e mulheres, quem se importa???

Banheiros sempre super limpos e bem monitorados, e eu esquecia de fazer xixi...Eu fazia só uma vez por dia, quando pensei nisso, comecei a ficar preocupada em ter algum problema, mas você abstrai todas essas coisas no minuto seguinte.

Comi pizza feita por italianos de verdade, que pizza!!! mmmmmmmmmmmm

A cerveja nem sempre estava gelada, mas quando estava, era um oásis na boca.
Caro, 5 reais o refri ou a cerveja, acho que a mesma coisa com o suco.

No último dia, depois de 7 dias no festival, eu já queria ir embora, mas a pista e os amigos me seguraram. Dancei, sorri, me molhei inteira, e fiquei com o coração apertado na hora de me despedir e ir embora.

Por favor, me dê mais 7 dias de festival !!!!
Porque as melhores companhias, nós encontramos nesse mundo de forma inusitada.

Porque nós entramos num Universo Paralello onde nada é errado e o que vale é aproveitar o momento.

Sorrisos vem fácil e deixam marcas.

Porque eu espero que esse momento seja eterno em nossas memórias.

Pessoas especiais não caem do céu, elas aparecem no momento e na hora certa.



No universo paralello criamos amizades tão infinitas, tão paralelas, as vezes é como você conheceu aquela pessoa a vida inteira. E quando se dá conta, estão dividindo tudo, até mesmo o dinheiro e você pensa e fala: Sem problema, você e eu é a mesma coisa.
Você confiar sem questionar sobre isso, tão bom sentir esse sentimento.

Você cria amigos de infância, por 1 semana você vive isso tudo e volta com tantas boas lembranças, querendo que fosse eternamente. Mas nada é pra sempre...infelizmente.

Definitivamente você só vive essas experiências se estiver aberto para o mundo, e sozinho.

Foi uma experiência maravilhosa voltar a ir para um festival sozinha e poder sentir tudo o que senti.
Principalmente pelo fato de sentir que estar sozinha não é tão ruim quanto parece, e o quanto tempo para aprender sobre nosso eu interior, sentar embaixo de uma árvore e admirar os outros a sua volta, ver crianças dançando, sorrisos, felicidade...

E ainda melhor compartilhar desses momentos com um amigo que está compartilhando do mesmo sentimento que você, abrir os olhos para um novo mundo ou pelo menos para aquele mundo em que vivemos por uma 1 semana.

Eu sou muito grata ao universo por me dar a chance de viver momentos como esse.

E só de ver essa foto, meu sorriso, vejo o quanto valeu apena cada gota do meu suor, cada medo enfrentado...todos os sentimentos ruins ficaram para trás .

Queria que fosse assim, sempre...



Esses momentos me fizeram repensar profundamente na minha vida.
Me sinto um pouco perdida sobre meus ideais e vontades agora, mas acredito que logo encontrarei meu caminho.

Quero sempre viver assim, quero sempre sentir o que senti lá...

Viver leve, com a alma dançando sem ter medo, flutuando em energias positivas e pura harmonia.