Vivendo intensamente...

Quase um diário de viagem, ideias e pensamentos.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Trindade - Rio de Janeiro




Vou ser bem sincera, nunca tive curiosidade de conhecer Trindade. Muitos conhecidos falavam sobre o pequeno paraíso, onde se podia acampar em uma bela praia e tals...
Essas coisas de lugar onde hippies tomam conta, nunca fui muito fã. Não pelos hippies, mas sim por aquele ar de que lugar assim atrai várias pessoas que ao invés de ir para apreciar o lugar, junta isso com um de "amor livre" e definitivamente esse lance de natureza pra mim não tem nada haver com drogas e afins.
Mas se você prefere continuar associando coisas para te dar uma outra visão, outra expectativa do que quer que seja, problema é seu.
Eu prefiro ver tudo sóbria, anyway...

Bom, o caminho é longo, mas vale apena se você pode ficar pelo menos uns 3 ou 4 dias.
Fazer um bate e volta num final de semana é um pouco pesado, mas mesmo ainda assim vale apena.
Pegue a estrada Rio-Santos e vá...quando suas pernas começar a dar um pouco de câimbra, seu bumbum começar a ficar quadrado e seu estomago começar a reclamar que está com fome e sentir sede, você deve estar perto.
Isso será  em umas 4h depois que saiu de qualquer lugar do Rio de Janeiro.
Mas não desanime, o caminho eu garanto que vale apena, é fresco, com belas vistas e o contato com a natureza é quase que constante.
Só uma coisa, cuidado com as curvas, cuidado com os loucos que dirigem nesse Brasil, reduza nas curvas e conduza com TOTAL prudência. A Rio-Santos é uma das campeãs em acidente. Não estrague seu prazer !

A entrada para Trindade é mal sinalizada, então depois que passar a entrada para Paraty, continue na estrada em direção a Ubatuba, ou seja, continuará na Rio-Santos.
Uns 20 km depois vai prestando atenção que haverá um pequeno contorno para se pegar a serrinha para Trindade.
Ah sim, vai de primeira e aproveite a natureza.Não tem como correr, é BEM íngreme a estrada e nas curvas mal passa dois carros, então cuidado com o ônibus que com frequência passa por ali.
Outra coisa, ônibus de turismo NÃO entram. O único ônibus que circula por lá, é o que faz o transporte de moradores e visitantes e vai até Paraty.
Me parece que a frequência de saídas é de meia em meia hora.Ou de uma em uma, deve ser o mais certo.

Bom, desceu toda a serrinha e acabou a estrada na praia???
É isso mesmo, agora vire a direita, você verá uma poça de água em meio de algumas pequenas pedras e uma rua, é por ali mesmo que você tem que passar.
Lembrando que na vila, não tem banco ou caixa eletrônico, pelo menos eu não vi.
Como é só uma rua, suas opções não são muitas, mas a oferta é boa.
Tem de quartinhos, camping, pousadas para todos os bolsos e gostos.
Eu fiquei no camping do Moisés, o nome acho que era Mar e Sol.
15 reais cada pessoa/por dia.
De frente para a praia, com acesso a ela.
Banheiros limpos e chuveiro com água quente.
No camping tem luz para cada barraca e fica ligada a noite toda, nós preferimos não usar.
Café da manhã, você tem opções desde da Padaria até o café da Regina, ambos são bons.
Almoço, eu vi pratos feitos que pareciam bons com preços a partir de 12 reais.
Eu jantei duas noites num restaurante super bacana e me parecia ser o mais chique da vila.
Atendimento muito bom, valeu cada centavo os pratos e tudo mais.
Não me lembro o nome do restaurante agora, mas é um bem bonito com a faixada em madeira e os atendentes usam camisas estilo havaiano.
Almoçamos um petisco na trilha para a piscina natural no restaurante do Pepê, um argentino que vive no meio da mata, sem energia e faz tudo com muito carinho e com produtos colhidos no quintal.
É um pouco caro, mas vale por toda a dedicação e a vista que se tem lá de cima.

As praias são lindas, não são as mais lindas que já vi, mas o sentido de se sentir em contato com a natureza lá é constante, stress zero.
Fuja só de uma praia onde tem vários restaurantes e cadeiras na praia, achei ridículo aquilo bem no meio do pequeno paraíso.
Mas fazer o que? O povo tem que viver de alguma maneira.
E trindade atrai vários e vários gringos e turistas, sua grande maioria de São Paulo.

As trilhas estão bem conservadas, com apoio e em alguns trechos com escadas feitas com tabuas de madeira.
A para chegar na piscina natural é a mais pesadinha, mas é muito tranquila.Vi senhoras com mais de 60 chegando lá e ainda com fôlego.

A piscina natural, é esse lugar onde estou na foto!
Com profundidades em pontos diferentes, é bom ter cautela, porque tem correnteza.
Ali é um pequeno paraíso, onde as enormes pedras escondem um lar para cardumes de peixes que adoram te dar susto, beliscam e some.

Trindade parece ter ainda muitas coisas para mostrar, como cachoeiras e outras praias mais escondidas, mas como eu disse, não dá pra conhecer tudo em um só final de semana.
Espero conseguir voltar lá e conhecer mais alguma coisa.

Deixe o estresse na estrada, não vale apena discutir enquanto os pássaros cantam.
Vai por mim.

Post em homenagem ao meu querido amigo ALÊ do Água Sanitária.
;-)

Um comentário:

  1. Ai! Adorei! Adoro suas viagens, seu texto e suas fotos! Sério. Gosto muito mesmo. Leio sempre com a maior atenção e super interessado. Sou fã desse blog.
    Obrigado por ter feito esta postagem em homenagem a mim!
    Abraço! ^_^

    ResponderExcluir