Vivendo intensamente...

Quase um diário de viagem, ideias e pensamentos.

domingo, 19 de setembro de 2010

Buenos Aires, uma breve passagem pela cidade do Tango


Deixamos o Rio no dia 15/08/2010, um dia antes do meu aniversário, era um domingo nublado e nossa aventura estaria apenas começando com a idéia de pegar um onibus até a cidade do Tango, Buenos Aires.
Via Rio de Janeiro você paga R$ 250 para passar suas próximas 36 horas dentro de um onibus leito, que na minha opinião nem devia ser chamado assim, porque não reclina o suficiente para dizerem que é cama.Mas no decorrer dessa aventura pelas estradas descobri que o leito ou coche é um luxo que vale muito apena, viagens com mais de 4 horas vá de leito, sua coluna agradece.
No dia seguinte chegamos em Foz do Iguaçu, onde tivemos todos que descer do bus para passar na imigração.Muita gente e desorganizado, muitos idosos, muitos gringos,e muitas filas sem sentido, típico do Brasil.
Em territorio Argentino em Puerto Iguazu, tivemos que descer novamente, lá começei a perceber que o bom humor dos Argentinos não é um dos melhores.
Sou uma das ultimas a sair da área onde te dão o visto, um dos guardas com muito mal humor me pergunta ou questiona em voz alta e grosseiro:
Vai para onde?
Eu respondo: Buenos Aires!
Com um deboche que o deixa irritado, mas ele nem pode fazer mais nada, só devolver a minha mala.
Voltamo ao onibus que faz uma breve parada na garagem deles em Puerto, para abastecer e essas coisas.
Seguimos viagem e paramos em Posadas, onde jantamos na mini rodoviaria da cruceiro del norte, a companhia do onibus que nos leva, segundo o slogan, a frota mais moderna da Argentina.
O café é um cháfé ou pó diluido na água quente, mas é assim em toda Argentina.
As estradas estão ruins e o motorista corre muito, já em buenos aires o transito na auto estrada é cruel de manhã, normal para uma metropole, mas lembra muito uma certa avenida brasil em época de final de ano ou carnaval.
Conhecemos um holandês no ônibus e conversamos sobre sotaques, na rodoviária Retiro já em Buenos aires, dividimos com ele um Remis, porque a fila do táxi é uma coisa meio fila do INSS segunda de manhã. Sem contar que dizem ser mais seguro.
Remis são carros particulares que fazem transporte tipo um táxi, mas tudo é acertado com a cooperativa diretamente.
Há lendas sobre taxistas na Argentina e acredite, é verdade.
Pegamos o Remis com o Daniel, um senhor que vive dessa profissão como "hobby" pelas manhãs e é professor de parapsicologia numa universidade na parte da tarde e noite.
Acreditamos só porque ele nos dá um cartão com esses dados, até diz ser filiado a grandes nomes internacionais.
Vamos para o Hostel Circus, onde fiz reserva, sem ter que pagar nada, só dando o nome e data de chegada via email.
O quarto para casal custou $197 pesos ( "$" é o simbolo que eles usam para o peso ), quarto legal, só faltou mesmo a TV, o hostel é bonito e novo, moderno, com uma mesa de sinuca a disposição, psicina climatizada e com cores, internet free, um bom café da manhã.
Saímos para procurar outro hostel, mas decidimos ficar por lá mesmo, os outros hosteis em San telmo, além de caros, não tinham a mesma qualidade.
Entramos um lugar que era praticamente a vila do chaves, bizarro.
San telmo é um bairro com muitos antiquários, muitas coisas para se ver, com um pub sensacional com cerveja importada barata e um clima 100% europeu, fomos e ficamos bêbados lá pelo menos umas 2 ou 3 vezes.
E o Tango???
Ah o tango, só em Caminito, já que não conseguimos conhecer uma boa Milonga, essa historia de Tango é coisa de turista mesmo, não curti tanto como na televisão.
Aliás Caminito é a rua mais turística de Buenos Aires, tem uma feirinha da qual eu me arrependo muito de não ter comprado nada, ótimos artistas chilenos, com belas peças em prata e outras coisas.
Voltamos andando, passamos em frente ao famoso estadio do Boca, a qual nem fiz questão de conhecer, em Buenos aires você se sente meio desprotegido, ruas vazias na hora da siesta, ar gótico das estruturas de prédios e casas antigas, arvores velhas e pessoas bem estranhas, notando que você é um gringo...principalmente eu, pelo fato de ser negra.
No primeiro dia já estava de saco cheio daquele lugar sujo, com pessoas mal humoradas e a sensação de insegurança...
E a comida, se você é vegetariano, esqueça, tire a Argentina da sua lista de viagem.
Se come carne ou massa, com carne..rs..rs..


O que mais falar sobre Buenos aires???
Ah sim, o fato de no Centro eu ter ouvido Wando foi a melhor parte de Buenos aires...
Você é luz, é raio estrela e luar, manhã de sol, meu ia ia, meu iôiô.