Vivendo intensamente...

Quase um diário de viagem, ideias e pensamentos.

domingo, 8 de agosto de 2010

Gruta Torrinha - Chapada Diamantina







Uma das boas opções para quem visitar a Chapada Diamantina é a Gruta chamada Torrinha.
Dizem ser a gruta mais completa do Brasil, mas até onde eu sei é a mais completa descoberta até hoje, porque existem várias grutas não exploradas nesse Brasil a fora.
Não fica muito longe de Lençois e a estrada para lá está agora em boas condições.
Bem sinalizado, você pode ir em direção a Seabra e pegar a direita no trevo, seguindo em frente, você verá várias placas indicando outras grutas, eu fui só em duas infelizmente, se pudesse teria visitado todas.

Chegando na Torrinha, você possivelmente será recebido por um dos donos, qual eu infelizmente não me recordo o nome, mas é um moço muito simpático.
Bom, se não for por ele, será por um dos guias qual você irá contratar para te guiar dentro da gruta, já incluso no preço do ingresso: R$ 18 / meia torre R$ 32 / completa.

Faça o tour completo, é longo, mas vale muuuuuuito apena.
No roteiro 1 e 2 é só alguns salões que você irá visitar, porem faça esse roteiro caso você sinta um pouco de claustrofobia ou se sinta cansado.
No total seguindo o roteiro 3 são 2,5km de gruta para se aventurar, contando o mesmo na volta, já que você no final tem dá meia volta.
Podemos visitar só até onde já foi liberado, outros salões ainda não foram estudados ou descobertos.
Optamos por esse ultimo roteiro, foi uma forma de vencer a minha claustrofobia, fácil quando você se diverte em um lugar mágico.

Tivemos que nos rastejar e eu entendi porque temos que usar capacetes, porque eu batia o tempo inteiro no teto que era muito baixo em algumas situações.
Eramos só 3, Gabe, o guia e eu, um guri bem simpático que nos contou várias historias e foi bem legal com a gente.

Bom, vimos várias formas lá vai:

Estalactite:forma-se a partir de gotas vindas do teto. Antes da queda, a solução libera calcita, um tipo de mineral, que se precipita à sua volta em forma de anel. Sucessivamente, novas gotas depositam outros anéis. Essas sobreposições de anéis produzem uma forma de canudo alongada em direção ao piso.


Flor de aragonita: cresce a partir de um centro de cristais aciculares de aragonita, ou seja, que têm forma de agulha. A formação dá origem a arranjos que lembram flores, daí o nome. Este tipo de espeleotema é considerado raro:




Agulha de gipsita: formada pela precipitação de sulfato de cálcio (CaSO4). Na Caverna Torrinha, as agulhas de gipsita estão entre placas de argila desidratas ao longo do tempo:


Ah!
Tem a parte em que o guia sempre desliga o lampião e fazemos silêncio para sentir como é realmente "viver" dentro de uma gruta.
O silêncio é ao nível de fazer um zumbido muito alto dentro do seu ouvido, se tentar abrir os olhos vai ficar cego com a escuridão.
A sensação é estranha, mas é muito excitante viver aquele momento.
Eles fazem isso por alguns minutos e pronto, voltamos a programação normal.
Não podemos tocar e nem falar alto ou muito dentro da gruta.

E pensar que levam milhões de ano para que um Estalagmite fique daquele tamanho, como na foto em que estou olhando.
Gota a gota, elas vão se formando.
Dentro e fora da torrinha passava um mar que depois virou rio e secou, onde geólogos conseguem descobrir a era atravez das linhas nas rochas.

Bom, é muuuuuuuita informação pra minha cabeça dislexia lembrar.
Na volta para Lençóis, quase atropelamos uma águia e uma tarantula absurdamente grande que conseguíamos enxergar de muito longe#medo.

O Brasil tem belezas infinitas para se descobri e eu prometi que iria conhecer ao máximo antes de visitar outro país.Como posso sair do meu país sem ao menos saber o que contar sobre as belezas naturais, só ter aquele velho clichê de que o Brasil é só carnaval, mulher, praias, violência e putaria.Me nego!

Afinal, Moro num país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza!

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Jalapão - Formiga





Jalapão ainda está no topo do melhor lugar na terra que já vi.
Incrível a história de como chegamos lá, mas depois eu conto essa parte da aventura.
Mas resumindo, se você quer conhecer o famoso deserto úmido do Brasil, vá preparado para ver belezas nunca vistas, sensações inéditas e muita espirito de aventura.
Primeiro de tudo; como está pensando em ir ???
Carro, moto, avião, ônibus???
Carro só 4 x 4 mas nós fomos de Uno Fiat novo, tranquilo, apesar de TODOS dizerem que seria quase impossível...well, sendo quase impossível, não significa que seja.
Mas sim, o carro não suporta de novo uma viagem como aquela e muitos lugares deixamos de visitar por não ter tração nas rodas.
São 197 km de Ponte Alta - Tocantins, que fica uns 250/300 km de Palmas.
Levamos quase 6 horas, depois de atolar o carro e ter que voltar em Ponte alta para calibrar os pneus de novo.
Descanse por lá, não tem como pegar a estrada de uma vez só. A estrada para Mateiros, o vilarejo onde você ficará hospedado é ruim, o máximo que conseguíamos correr será 60km por hora, e quando isso acontecia era uma festa.
Há trechos com buracos profundos, tem horas que parece a lua com muitas pedras gigantes espalhadas na estrada.
Mas em partes está bem tranquila, num 4x4 com certeza você nem precisará esquentar muito com isso.
Mateiros é um vilarejo, nada de luxo, nada de bancos 24h, nada de restaurante, não há hotéis grandes.
Pessoas humildes e simpaticamente tímida só olhando o movimento de quem entra e sai.
Ficamos numa modesta pousada da qual não lembro o nome, mas fica em frente a casa da Dona Rose, mulher arretada que prepara uma comida caseira deliciosa. É um PF bem servido e na verdade é o único lugar pra comer em Mateiros.
Na pousada pagamos 25 reais a diária pra um casal em Julho, nada mal.
Com um café da manhã sem luxo, mas delicioso, o melhor pão com manteiga que já comi.
Ah, e os quartos tem banheiro e mosquiteiro, essencial.
Passeio são vários, normalmente sai grupos com picapes já de Ponte Alta.
Bom, a foto de hoje se refere a um desses passeios, a cachoeira da Formiga.
Meu queixo foi no pé e matou uma formiga qual estava me picando..rs...que irônico.
A água é um verde esmeralda que seus olhos mal acreditam.
Ah sim, levem óculos de mergulho, a melhor coisa que fizemos foi comprar um bom.
Você simplesmente mergulha e não quer mais voltar a superfície  a vida embaixo daquelas águas é uma coisa inexplicável. Água transparente, peixinhos e areia brilhando...
Você paga R$5 reais e desfruta de um momento único.
Infelizmente é uma cachoeira que parece juntar muita gente, estava meio bagunçado quando fomos, mas a beleza supera qualquer coisa.
Ah, cuidado com as formigas...olha bem onde pisa, fiquei com meus pés feridos e dói muito.