Vivendo intensamente...

Quase um diário de viagem, ideias e pensamentos.

sábado, 31 de julho de 2010

Ouro preto



Na minha lista de um dos melhores lugares que já conheci, até agora.
A sensação de estar pisando em história em cada cantinho que você vá, sem exceção é uma coisa inexplicável  fora que você tem que fazer vários stops para contemplar a paisagem.
Até brinquei sobre nunca ter sido tão católica na minha vida, por ter entrado em tantas igrejas, que infelizmente não podemos fotografar devido aos constantes roubo.O trafico de esculturas sacras é mais uma das coisas que envergonham nosso lindo país.
Enfim, Ouro Preto tem muitas coisas além de suas mais de 20 igrejas para se visitar. Muitos museus, passeios de trem, cachoeiras, minas, parques fechados, suas lojas e ótimos restaurantes  alguns bares alternativos ou o que se pode dizer de um lugar jovem.
Dependendo da época prepara-se para pegar um frio de rachar ou gostoso.
Em junho chegou a fazer 3° graus positivos  pra quem vinha de uma temporada em Goiânia onde o inverno passa como uma brisa a noite e no dia seguinte o sol é um massacre a pele, isso é quase a Groenlândia.
Em questão de hospedagem, tivemos a experiência na primeira vez de ficar em um hotel na estrada há uns 20km de ouro preto o que não vale apena ir e voltar todo dia, por 70 reais a diária com café da manhã.
E em Ouro Branco o Hotel Fazenda Pé do morro, que foi um dos melhores hotel que fiquei até agora, estrutura magnifica, conversando saiu por 100 reais a noite, porque só ficaríamos uma noite mesmo.Mas normalmente custa entre 150 / 250 reais, depende do quarto .
Em Ouro preto ficamos no Ouro Preto Hostel, para chegar é meio complicado pra quem estiver a pé, é longe da rodoviária e tem uma escadaria pra subir, mas a vista é excelente se você der a sorte de pegar o quarto com varanda.Os quartos compartilhados parecem ser bons e com banheiro, custos entre 30 / 90 reais a diária com um café da manhã simples, mas que é bom comer bem cedo.
Sobre o Restaurante tivemos a sorte de conhecer o Bistrô 58, com o dono Marcio, um lindo casarão com um jardim gostoso onde rola uma música ao vivo muito boa, os pratos tem um preço salgado, mais vale muito apena.Tudo preparado pelo próprio Marcio que além de dono é o Chefe.
Beba um chocolate quente na rua de baixo, compre lá também um licor de chocolate com pimenta, delicioso.
Uma dica que aprendemos foi como subir as ladeiras, ouro preto são várias ladeiras uma maior que a outra, sem morrer no caminho.Suba devagar, jogando o corpo para os lados, não suba reto...rs.
Bom, faça do seu jeito, mas não deixe de conhecer essa cidade.
Do Rio de Janeiro existem ônibus para lá saindo por 72 reais.
De carro, as estradas até entrada para Juiz de fora é um tapete, mas gasta em pedágios, depois é mão dupla e é ruim além de perigosa, pra chegar em Ouro preto pegue sempre em direção há Belo horizonte, não tem como errar. Você entrar por Ouro Branco e é só seguir as placas.
Vá de ônibus, não é muito recomendado usar carros lá, as ruas são estreitas com poucas ofertas de vagas e existem muitos guardas com seus caderninhos multando geral.
Alias a graça é andar a pé e apreciar tudo. Não tem como se perder.
Enjoy!